3º Capitulo

Entramos no carro acompanhados por um silêncio horrível. “Não te importas que pare?”, “Claro que não, aliás eu acho que devas parar, tens umas meninas que estão aí só para te ver.”, “Como é que sabes?”, “Tive o treino todo a ouvir umas meninas a chamar por ti, a dizerem que és lindo e que querem casar contigo.” Ele ficou envergonhado, mas tinha sido a verdade tinha estado o treino todo a ouvi-las. “Não leves a mal mas acho melhor esconderes-te senão elas vão tirar fotos e não se sabe onde essas fotos vão parar.” Baixei e fiz com que os meus cabelos não deixassem que qualquer parte da minha cara ficasse visível. Achei o gesto dele querido por estar preocupado comigo, mas não disse mais nada.

Depois de 15 minutos de cabeça baixa enquanto o Rúben distribuía autógrafos lá seguimos viagem. “Eu vou te deixar ao Colombo.”,Nem penses eu vou de transportes.”. Vi que o seu rosto não tinha o seu sorriso tão maravilhoso como de costume e percebi que algo o incomodava mas resolvi manter-me calada, não queria que ele pensasse que eu me estava a intrometer.

Desculpa a pergunta, mas já te fartas-te da minha companhia não foi?”, eu fiquei espantada a ouvi-lo, é claro que não me tinha fartado da companhia dele, adorei cada segundo, e nunca pensei que uma simples ida ao Colombo me deixasse tão feliz. “Porque é que dizes isso?”, “Então quando estávamos a falar com o senhor João não disseste nada, quando te convidei para jantar recusaste e agora nem querias que eu levasse de novo para o Colombo. Desculpa se fiz alguma coisa de mal.”, eu sorri-lhe. “Não sejas tonto, quando estavas a falar com o senhor João achei piada e mantive-me calada, não posso jantar contigo porque já tinha combinado com umas amigas irmos jantar e irmos sair, e só não queria que me viesses levar ao Colombo porque não te quero dar trabalho.”, “Então não tas farta de mim?”, “é claro que não. Eu até estou a gostar muito da tua companhia.”, vi o seu sorriso aparece e posso dizer com toda a certeza que é o sorriso mais bonito que já vi em toda a minha vida.

Já tínhamos chegado ao Colombo, e o ambiente já era novamente o mesmo que tínhamos quando saímos dali. “Rúben, arranjei uma boa maneira de te provar que não estou farta de ti. Eu não sei se podes, mas como te disse depois de jantar eu e umas amigas vamos sair. Não queres vir?”, Bem é complicado, mas como amanha temos a manhã de folga, eu posso, mas não posso ficar até muito tarde.”,Bem nós vamos para a Lux, e podes levar amigos se quiseres, E eu queria que convidasses uma pessoa.”Quem?O David Luiz, ele disse para eu cuidar bem de ti, então para ele ver que eu cuido bem de ti, convida-o também.”, Ambos sorrimos.

“Olha se calhar é melhor dares me o teu número para combinarmos melhor que achas?”, “Claro dá-me o teu telemóvel que eu aponto se não te importares.” Ele passou-me o telemóvel e eu digitei o número. “Quando chegares a casa manda-me mensagem para eu ficar descansada por favor.”, “Claro e tu manda-me mensagem também.”. Despedimo-nos com dois beijinhos e vi-o partir e entrei no Colombo, ainda tinha que comprar algo para vestir logo á noite, não me apetecia nada levar uma das minhas antigas roupas. Optei por um vestido curto, preto com flores laranja, umas sandálias pretas, e uma malinha laranja também.

Eram sete e meia quando me acabei de arranjar, olhei para o telemóvel e já tinha duas mensagens do Rúben, e outras duas da Débora. 

publicado por quandomenosseespera às 21:41