1º Capitulo

Levantei-me cedo, já não conseguia dormir. Continuava a pensar na volta que a minha vida deu no último ano e meio. Saí da casa dos meus pais na margem sul e vim viver para Lisboa. O certo é que no entanto todos os fins-de-semana ia jantar lá a casa, dormia lá, no meu quarto que permanecia intacto e no domingo ia almoçar aos meus avos, e pela tarde rumava novamente a minha casa.

Tomei banho e fui-me vestir. Como moro relativamente perto do Colombo, resolvi ir fazer umas compras e almoçar por lá.

Estacionei o meu “bolinhas” num dos poucos lugares vagos naquele momento. Comecei a caminhar e lembrei-me de procurar o meu telemóvel na mala, e assim que baixei os olhos para a mala oiço uma travagem brusca, fiquei estática e fechei os olhos. “Tás bem? Desculpa eu estava distraído. Magoei-te?” Respirei fundo. E comecei a abrir os olhos muito lentamente. “Eu estou bem, não me magoou. Pode estar descansado.”Abri os olhos finalmente mas apenas vi a minha mala quando ele finalmente falou: “Espere aqui por mim.”, “Mas para quê?”, perguntei eu ainda cabisbaixa sabia que de certa forma aquele pseudo-acidente também tinha sido culpa minha. “Mas para quê?” perguntei ainda sem o encarar. “Apenas espere.” Ainda tentei olhar mas ele já se encontrava dentro do carro e já não vi o seu rosto decentemente.

Esperei uns minutos e quando me preparava para entrar ouvi a sua voz novamente, “Espere” gritou-me. Olhei para trás e quase ia deixando cair a minha mala. “Desculpe, eu estava a olhar para o telemóvel”, “Não faz mal, eu ia á procura do meu.”, Disse quando eu ainda estava meio embasbacada. “Desculpe não é normal eu fazer isto, mas será que quer almoçar comigo?”, perguntou-me um pouco envergonhado. “Patrícia”, “Desculpe?”, , “Patrícia, é o meu nome. E sim pode ser.”,Rúben, e trata-me por tu, por favor.”, “Está bem, quer … queres almoçar onde?”, “Escolhes tu, desculpa o convite mas fiquei preocupado e também tenho de almoçar e pensei porque não aliar as duas?!”, Não faz mal, assim até é melhor, tenho companhia”. Dirigimo-nos até á Pizza Hut por ser esta a escolha de ambos e por ser um lugar mais recatado.

“Então fala-me de ti, pode ser?”, “Claro, que queres saber?”, “Tudo”, disse-me já um pouco envergonhado. “Então, chamo-me Patrícia, tenho 20 anos, moro sozinha aqui em Lisboa, apesar de ter os meus pais a morarem na Margem Sul, tenho uma irmã, e faço tudo por eles e o meu maior objectivo de vida é não desiludir o meu pai. Neste momento estou á procura de emprego porque sou bichinho e não consigo estar quieta. Sou teimosa, orgulhosa e rabugenta de vez enquanto. Mais alguma coisa?”, ´”és linda, bem disposta, distraída, maravilhosa, tens uns olhos e um sorriso do outro mundo”,  “E tu mentes muito, muito bem” , “UPS, eu não disse isto em voz alta pois não?”, perguntou-me ele muito envergonhado, acenei com a cabeça que sim, e desmanchei-me a rir. “E tens um óptimo sentido de humor”, fiquei envergonhada mas tentei disfarçar. “Então e tu? agora é a tua vez de me falares de ti.” Disse-lhe. “Chamo-me Rúben, tenho 25 anos, jogo no Benfica e sou do Benfica desde os 3 meses de idade. A minha mãe é a minha maior confidente, assim como o meu irmão. Moro na costa da Caparica e o meu pior defeito é ser muito orgulhoso. Gosto das coisas mais simples da vida. E sou muito brincalhão.”, “Faltam ai umas coisas, mas essas saltam á vista, como o teu sorriso magnifico.”, Sorri-lhe e agora foi a vez dele de ficar envergonhado.

publicado por quandomenosseespera às 19:34
Feel like: Feliz, começaram as férias :D
música: Rihanna - California King Bed